FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

David S. Ware: o início, ainda

Nos anos 70, o jovem David S. Ware lançou dois álbuns como líder. O primeiro, já abordado aqui, foi Birth of a Being, gravado em abril de 1977. Seu segundo rebento seria From Silence to Music, gravado em 1978. Depois dessas experiências, de pouca repercussão, o saxofonista aguardaria uma década para retornar às gravações, que ocorreu com “Passage to Music”, de 1988. Como seu parceiro daqueles tempos primeiros, From Silence to Music jamais foi editado em CD. Além disso, conseguiu a proeza de ter uma distribuição mais tímida do que a de 'Birth of a Being'. Editado pelo pequeno selo francês 'Palm', o disco tem ainda a particularidade de alternar duos de sax/violoncelo com faixas solos _o que me parece prejudicar ainda mais o potencial comercial do álbum e enfraquecer seu apelo de relançamento.

Os dois primeiros discos de David S. não receberam nova versão nem mesmo após os 90s, quando o saxofonista consolidou-se como um dos grandes do free jazz. Talvez haja entraves contratuais que tenham prejudicado o resgate das gravações, nunca li nada a respeito. Fato é que, sem as atuais formas de distribuição digital, muito menos gente teria acesso a essas obras, que seriam cada vez mais lendárias e menos apreciadas.

O lado A começa com um tema original, bem bluesy, algo não tão normal no universo wareano. O saxofonista divide as duas faixas A com o celista francês Jean-Charles Capon, que já gravou com ‘Butch’ Morris, Joe McPhee e Chet Baker. O lado B representa outro extremo, com David S. sozinho e mais livre, dedilhando temas originais e arriscando um “Prelude to a Kiss”.
Nem esse From Silence to Music, nem Birth of a Being representam os voos mais inspirados e arriscados do saxofonista. São belos discos, que anunciam os caminhos que seriam explorados por ele mais à frente _seus maiores trabalhos apenas apareceriam na década de 90, sob o formato de quarteto. Mas merecem ser apreciados com atenção; quem sabe, algum dia, algum nobre selo não decida resgatar essas peças...

A1 Blues For A Change 9:52
A2 In Memory Of 10:44

B1 It Could Happen To You 7:55
B2 Deep Purple 3:55
B3 Prelude To A Kiss 3:53
B4 From Deep Within I 2:52
B5 From Deep Within II 3:20


slc

*David S. Ware: saxophone tenor
*Jean-Charles Capon: cello

Recorded Sept. 30 / Oct. 1, 1978, at Studio Palm, Paris

3 comentários:

fabricio vieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Filipe Gomes disse...

Só conheci o David S. Ware com A Freedom Suite do Sonny Rollins, há seis ou sete anos; e o Aquarium Sound. Ouvi várias gravações e fiquei preso aquela música fluida. O aquarium sound, equivoco meu ou não, apanhou-me com aquele swing de bateria (que me fazia lembrar da bossa nova) depois a música segue e parece que os pés se levantam do chão. Não há sítio onde te possas agarrar, aliás, se não te agarrares fluirás com a música.

fabricio vieira disse...

Aquarian Sound é um clássico, irresistível. postei aqui em "David S. Ware: rebirth" um show no qual há uma versão de 25 minutos de Aquarian Sound. Confira.