FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A mais bela versão de “Lonely Woman”?

Um dos temas resgatados por Ornette Coleman para formar o repertório de sua atual turnê é a balada “Lonely Woman”, como pôde ser apreciado nos shows desse fim de semana. A faixa apareceu pela primeira vez no álbum “The Shape Of Jazz To Come”, de 1959, e tem renascido em diferentes contextos nessas cinco décadas. Depois de gravá-la no fim dos 50, Coleman apenas voltou a revisitá-la em 1965, quando abandonou seu auto-exílio, reagrupando-se a David Izenzon e Charles Moffett.  

Uma das primeiras paradas desse trio, em 65, foi no bar novaiorquino Village Vanguard. Logo depois, surgiu o primeiro grande compromisso deles, que foi a criação da trilha para o filme “Chappaqua”, realizada em junho de 65 e que contou com a presença de Pharoah Sanders. O trabalho teria rendido um dinheiro bom, e o trio decidido passar uma temporada na Europa, onde tocaram em Paris, Londres, Estocolmo e Copenhague (todas esses concertos foram gravados).

Antes de desembarcar na Suécia, em dezembro daquele ano, e fazer as apresentações que geraram o duplo “At The Golden Circle”, o trio parou na Dinamarca. No dia 30 de novembro, subiram ao palco de ‘Tivoli’ (Copenhague) e fizeram um show mais introspectivo que o habitual. Foi dessa apresentação que nasceu talvez a mais bela versão de “Lonely Woman”: solidão e desencanto emanam de cada frase; arrastada, profunda, com Ornette alongando as notas no sax e deixando a faixa correr por mais de 12 minutos (a versão original conta com 5 minutos). É difícil seguir ouvindo o disco sem ficar tentado a retornar para “Lonely Woman”, uma vez mais, e outra: quem disse que Ornette não pode soar cruelmente soturno?



1. Lonely Woman (12:20)
2. Clergyman's Dream (19:03)
3. Sadness (3:55)
4. Falling Star (14:25)
5. Interview (3:10)


*Ornette Coleman: alto, trumpet, violin
*David Izenzon: bass
*Charles Moffett: drums

 
"Tivolis Koncertsal", Copenhagen, Denmark, November 30, 1965.

Um comentário:

Caio Hikari T. Yokoyama disse...

Olá... tornei-me fã de Ornette C. há alguns meses. Estou curiosíssimo para ouvir este álbum, mas parece ser super inacessível(assim como o "Of Human Feelings" que adorei mas tive que baixá-lo ilegalmente...), talvez só comprando um cd na Amazon ou em outros sites do exterior...

Aliás, gostei muito do blog, um dos únicos que eu tive prazer de ler ao primeiro post que apareceu na tela.

Obrigado!