FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

domingo, 6 de março de 2011

US$ 240 por um ingresso?

Não vamos dizer que não vale, pois tal afirmação soaria agressiva à fina obra do pianista. Mas o que leva os produtores a decidirem cobrar cerca de US$ 240 por um ingresso para ver e ouvir Keith Jarrett em São Paulo?

O pianista, de longa trajetória recheada de momentos fantásticos, como seu “quarteto americano” dos anos 70 e o trio (a partir) dos anos 80, merecia sim ser apreciado por um público seleto –entenda-se: de fato interessado ou conhecedor da relevância de seu trabalho. Mas qual será o público que encherá a sala de concerto? Como Jarrett é um músico conhecido (basta entrar em qualquer sebo para encontrar pilhas de seus álbuns em vinil, em edição nacional; ou seja, já se consumiu bastante sua obra no país), os ingressos devem esgotar logo.

Keith Jarrett faz show solo, único, no dia 6 de abril na Sala São Paulo. A maioria dos ingressos custará de R$ 350 a R$ 400. Há ainda uma cota menor, para os menos favorecidos, apenas no camarote superior (que, se não estou enganado, fica localizado acima do palco, com uma ótima vista do teto) a modestos R$ 200 (!!!). É aviltante essa divisão comum em muitas salas de concerto: quem paga mais tem direito a uma visão mais privilegiada do artista. E quem pode pagar pouco não tem direito a visão nenhuma...

Ps: o mais irônico é ver os “apoios culturais” no pé do cartaz de divulgação: atenção para o logo “Brasil um País de Todos”.

6 comentários:

BIRD disse...

Me encanta keith jarrett.....toco mucho con jan garbarek....me gusta el sonido ECM ...un saludo y felicidades por tu blog..interesante.

BIRD

Anônimo disse...

Es un abuso.Yo pague $120 y vi al Standards Trio .Solo Jarret no justifica ese precio exhorbitante.Brasil un pais de todos si tienes dolares,,,
seranfa

Caio . disse...

Triste , para dizer o minimo , ainda mais em um show que conta com dinheiro público para a sua realização .
Este é um reflexo exato de como atuam as classes sociais em nosso país.

Anônimo disse...

Vou salvar o poster para mostrar como no Brasil existem assaltantes....dinheiro estadual e federal e 400 reais o ingresso.... é lei de incentivo funcionando,nos bolsos dos empresários claro!!!

fabricio vieira disse...

Esse é o ponto problemático: utiliza-se lei de incentivo e, mesmo assim, cobra-se R$ 400 por um ingresso? Que cultura é essa 'incentivada' pela lei?

Aidê Resende disse...

Há anos sou apaixonada há anos pelo Keith Jarrett e fiquei animadíssima ao saber que ele faria um concerto aqui.

Quando soube dos preços dos ingressos já achei abusivo (estamos pagando o dobro do que pagaríamos para vê-lo em NY ou Paris, levando em consideração que são duas cidades tão caras quanto SP), mas foi meu aniversário e eu estipulei que esse seria meu auto-presente.

Sou estudante do Instituto de Artes da Unesp e como todos os estudantes do Estado de SP, tenho direito a meia entrada em qualquer atividade cultural.
Pois fui comprar meu ingresso nessa última 2a-feira e o atendente da bilheteria me disse que a "cota" para estudantes já estava esgotada. Acontece que essa cota é ilegal, esclarecido de forma bastante simples no site do Procon - http://www.procon.sp.gov.br/texto.asp?id=841.

Não consigo de forma alguma encontrar o nome do produtor desse concerto.

A Sala São Paulo foi levantada principalmente com verba do Estado de SP. Mesmo não sendo uma produção da Sala, não faz sentido tamanho abuso no preço do ingresso e muito menos uma ação ilegal dentro debaixo dos olhos do Estado. É mais uma comprovação que a cultura é acessível para pouquíssimos no Brasil.