FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Um clássico sobre o jazz e seus variados subtítulos



O pesquisador e crítico alemão Joachim-Ernst Berendt (1922-2000) escreveu um dos livros clássicos sobre o jazz: “Das Jazzbuch”. Publicado pela primeria vez em 1957, o livro acabou por ser traduzido para ao menos quinze idiomas, sendo revisto e ampliado com o passar do tempo. As várias edições que recebeu em suas mais de cinco décadas de vida tem uma particularidade interessante: os subtítulos. Mesmo em um idioma, especialmente em alemão e inglês, o livro recebeu diferentes subtítulos, refletindo a atualização das edições com novas informações sobre o jazz que estava sendo feito no momento.
No Brasil, o livro foi publicado pela editora Perspectiva como: “O Jazz: do rag ao rock”.





Não fica claro em qual edição (de qual idioma) Júlio Medaglia se baseou para realizar a tradução ao português. A única referência que há na ficha catalográfica é: Título do original alemão: “Das Jazzbuch: Von New Orleans bis Free Jazz”.
Mas, pesquisando as edições alemãs, é possível encontrar uma que traz exatamente o título que recebeu em português – curiosamente, apenas esta edição e a brasileira trazem este subtítulo. No Brasil, “O Jazz: do rag ao rock” saiu pela primeira vez em 1975, tendo reimpressões nos anos 80 e 2000. Sempre recebendo o mesmo título, revela um problema: o livro não foi atualizado em sua edição nacional. No exterior, especialmente em inglês, o clássico de Berendt tem sido revisto e ampliado a cada década. Mesmo agora, após a morte do autor, foi alvo de uma nova edição, a cargo de um colaborador. Provavelmente, para publicar uma versão atualizada, a Perspectiva teria de pagar por direitos autorais de novo, o que, para ela, talvez não se justificasse. Assim, mesmo tendo sido reeditado há poucos anos, a versão nacional de “Jazzbuch” apresenta uma leitura do jazz que se interrompe no início dos anos 70... Ou seja, o leitor brasileiro deixa de ter acesso à música realizada nas últimas três décadas.




Alemão e inglês são os idiomas que mais contam com versões de “Das Jazzbuch”. As atualizações das edições podem ser acompanhadas pelas mudanças nos subtítulos, que indicam até onde se estende a pesquisa sobre a linguagem jazzística apresentada na obra.









Em inglês talvez haja a versão mais atualizada. Sendo a sétima edição da obra, revista e ampliada, foi publicada em 2009, com a colaboração de Gunther Huesmann, que já havia sido responsável pela revisão de versões anteriores. O subtítulo: “From ragtime to the 21st Century”.











Nenhum comentário: