FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Livro resgata a cena loft dos anos 70






Loft Jazz: Improvising New York in the 1970s
By Michael C. Heller
University of California Press
272 pgs. (2016)




Por Fabricio Vieira

Studio Rivbea. Ali’s Alley. Environ. Studio We. Sunrise Studio.
Quem acompanha o free sabe exatamente do que se trata ao ouvir esses nomes. E agora a mítica cena loft de Nova York dos anos 1970 recebe a revisitação que merecia com Loft Jazz: Improvising New York in the 1970s, livro fruto de ampla pesquisa realizada por Michael C. Heller, recém-editado no mercado internacional.
Apesar de não haver uma homogeneidade sonora ou conceitual, com a liberdade em torno do free/jazzístico abrindo sempre novas e amplas possibilidades, o termo loft jazz demarca tradicionalmente um espaço/tempo artístico e criacional ao menos imaginariamente preciso na década de 1970. Diferentes espaços comunitários foram abertos naquele período, em galpões e prédios (especialmente) no Lower Mahattan, com a participação de veteranos (Sam Rivers, Rashied Ali...) e novos (William Parker, David Murray...) artistas, onde forças se uniram para desenvolver algo que ficaria marcado na história da música livre, em um processo de transformação e união de forças e ideias. “A movement which saw factories transforming into homes, homes into studios, and studios into stages”, diz Heller. Mas vale lembrar, como frisa o autor, que nem só de free se fez essa ampla e múltipla cena: “Some spaces featured mostly straight-ahead styles, others spotlighted free jazz, and still others interfaced with contemporary European music.

O autor divide o livro em duas partes (“Histories” e “Trajectories”) e oito capítulos, nos quais são abordados não apenas o lado histórico da cena, mas suas particularidades estéticas, discursos, a importância do espaço físico nesse processo, o espírito de comunidade, seu legado, dentre outros tópicos. Heller destaca a importância do arquivo guardado e mantido pelo percussionista Juma Sultan, repleto de fitas, flyers, fotos e outros documentos da época retratada no livro. Heller iniciou uma parceria com Sultan em 2009, quando passou a ajudá-lo a organizar e digitalizar esse material e de lá veio muito do que o auxiliaria a compor a pesquisa que resultou neste livro.
Para quem já gastou (ou melhor, investiu) muitas horas ouvindo registros desse período – a destacar a clássica coleção de 5 LPs “Wildflowers”, com gravações feitas em vários dias de maio de 1976 no Studio Rivbea –, Loft Jazz: Improvising New York in the 1970s é um livro obrigatório, que ajuda a melhor compreender e saborear esse momento ímpar da história da música livre e criativa.

2 comentários:

BIG PAPA RECORDS disse...

Ola Fabricio,
Bom artigo man!
Se algum dia vc quer entrevistar uma das pioneiras de essa cena, procura a VERNA GILLIS
https://www.facebook.com/vernagillis.soundscape?fref=ts
Fala para ela que vc e amigo nosso!
abs
BIG PAPA

Fabricio Vieira disse...

Valeu, man! Grande dica! abs,